As novas tecnologias têm se mostrado uma ótima solução para enfrentar desafios sociais. O texto de hoje reúne parte do relatório produzido para o projeto DSI4EU e, apesar de focar na Europa, traz insights interessantes para o crescimento da inovação social digital, além de mapear projetos e organizações que usam a tecnologia para enfrentar os desafios sociais no Velho Continente e exploram as barreiras ao crescimento do setor.

Segundo o estudo, em 2017, existiam quase 2.000 organizações e mais de 1.000 projetos envolvidos em inovação social digital (DSI, em inglês) em toda a Europa, com a maior concentração de atividade no oeste e sul da Europa. Apesar desse volume, eram poucos exemplos de iniciativas que produziam impacto em escala, talvez um dos maiores desafios da inovação social.

O estudo identificou que um dos maiores desafios dentro da DSI é a comunicação. Projetos e organizações envolvidas neste cenário estavam relativamente mal conectados uns aos outros. Havendo uma necessidade urgente de desenvolver redes locais fortes e entre países e regiões, a fim de impulsionar a colaboração e o compartilhamento de conhecimento. Parece até irônico este tipo de perspectiva, uma vez em que vivemos em uma Era hiperconectada e a própria internet (www), nasceu com o objetivo de disseminar conteúdo. A ideia de Tim Berners-Lee em ter um projeto de hipertexto para facilitar a partilha e atualização de informações entre os pesquisadores foi a essência para o surgimento da world wide web.

Outro desafio que o estudo mapeou, que impacta diretamente no crescimento da DSI, foi a falta de financiamento e investimento em todo o continente, especialmente fora da Europa Ocidental, e escassez de competências digitais estruturais. Além disso, as organizações da sociedade civil e o setor público têm demorado a adotar a DSI, apesar da oportunidade de oferecer melhores serviços a um custo menor, embora existam exemplos emergentes de boas práticas em toda a Europa. Por fim, envolver cidadãos e usuários, entender e medir o impacto de suas inovações sociais digitais e planejar crescimento e sustentabilidade são apenas algumas das várias dificuldades que os atores envolvidos neste cenário têm encontrado.

Recomendações: Como o setor público pode incentivar a inovação social digital

Como falamos no início do texto, o estudo levantou algumas recomendações para que, financiadores e gestores de políticas públicas europeus, possam incentivar a inovação social. Essas recomendações são aplicáveis ao cenário brasileiro e, salvo as peculiaridades europeias, podem ser replicadas por aqui. Abaixo você confere 6 recomendações políticas para as DSI:

  1. Apoie a inovação social digital através de mecanismos de financiamento. Os financiadores privados e públicos da inovação social devem garantir que as organizações e projetos sejam capazes e incentivados a acessar o financiamento. No Brasil, vimos alguns exemplos práticos bem interessantes;
  2. Invista em intermediários e na infraestrutura de suporte para a inovação social digital. Atualmente, alguns investimentos em grande escala são destinados a projetos individuais, enquanto a maioria dos projetos perdem oportunidades. Concentrar-se no investimento em infraestrutura, como incubadoras, aceleradoras, construção de redes, centros físicos e iniciativas de treinamento, permitiria um sistema mais descentralizado capaz de suportar uma gama mais ampla de iniciativas;
  3. Invista e permita abordagens de inovação social dentro de organizações da sociedade civil existentes. O apoio financeiro privado e público à inovação social digital não deve se concentrar apenas em startups e organizações de base, mas também em melhorar a maturidade digital em organizações estabelecidas da sociedade civil e em apoiar iniciativas dentro delas;
  4. Permita a aprendizagem entre pares e a divulgação das melhores práticas. Isso deve acontecer não apenas entre os profissionais, mas também entre financiadores, formuladores de políticas públicas e investidores;
  5. Realize pesquisas adicionais sobre as condições e modelos de apoio para o crescimento e sustentabilidade da inovação social digital. Na Europa, por exemplo, a Comissão Europeia deve apoiar a investigação sobre as condições de habilitação da DSO e os modelos de crescimento e sustentabilidade para iniciativas neste cenário;
  6. Utilize os contratos públicos para promover a inovação social digital. O setor público deve apoiar a DSI, promovendo o código aberto sempre que possível, testando estas iniciativas em protótipos e adotando métodos inovadores de aquisição, como os contratos pré-comerciais.

Leia também:

A 4ª Revolução Industrial e os desafios do setor público: Como iniciativas digitais estão impactando o cenário público.

Inovação social: O que é e como podemos conectar com serviços públicos: Diferente da forma de assistencialismo ou filantropia da era digital, a inovação social está longe de ser isso.